Insuficiência
Cardíaca

O que é
insuficiência cardíaca?

El Corazón de la mujer
A insuficiência cardíaca ou falha cardíaca é uma pandemia global que afeta cerca de 26 milhões de pessoas (12). Ocorre quando o músculo cardíaco não bombeia o sangue com eficiência, afetando a oxigenação adequada do corpo. Isso acontece quando o coração fica progressivamente enfraquecido, afetando sua capacidade de encher e ejetar sangue para o resto do corpo (13).
Isso pode ser consequência de (14):
  • Hipertensão
  • Obstrução arterial
  • Doença cardíaca congênita
  • Ataque cardíaco anterior
  • Válvulas cardíacas estreitas
  • Infecção debilitante do músculo cardíaco
  • Arritmias
  • Outros

Fatores de risco que aumentam a probabilidade de sofrer Insuficiência Cardíaca (15)

As causas mais comuns de bloqueio nas artérias coronárias são coágulos sanguíneos e depósitos de gordura nas paredes das artérias. Isso pode ser causado pelos seguintes fatores de risco (2):

Doença das artérias coronárias

Fumar

Obesidade

Ataque cardíaco
anterior

Idade avançada

Hipertensão
arterial

Estresse

Sintomas de
insuficiência cardíaca:

Às vezes os sinais de uma Insuficiência Cardíaca se confundem com os sinais de outras doenças ou características da idade avançada, por isso é fundamental identificar esses sintomas e consultar o seu especialista anualmente (16).
Alguns dos sinais aos quais deveríamos prestar atenção são:
Como prevenir a insuficiência cardíaca?(17)

Dificuldade em respirar mesmo quando deitado

Tosse persistente

Inchaço dos pés, tornozelos, pernas ou abdômen

Aumento de peso

Cansaço constante

Falta de apetite

Náuseas

Desconforto no estômago

Palpitações cardíacas

Evite níveis elevados de colesterol

Controlar a pressão arterial

Prevenir e tratar o diabetes

Levar um estilo de vida ativo

Manter um peso adequado

Evitar o consumo excessivo de sódio

Controle do estresse

Como é
diagnosticada?

Existem diferentes estudos e exames laboratoriais para confirmar o diagnóstico de Insuficiência Cardíaca.
Alguns são (18):
Outros exames complementares que podem revelar mais sobre a insuficiência cardíaca ou identificar a causa podem ser (18):
  • Provas de função pulmonar
  • Prova de esforço
  • Ressonância magnética cardíaca (RM)
  • Cateterismo cardíaco e angiografia
  • Técnicas de medicina nuclear
  • Tomografia computadorizada multislice (TC)
  • Radiografias para observar se a circulação sanguínea flui normalmente ou apresenta alguma obstrução (total ou parcial)

Eletrocardiograma (ECG):

Detecção de arritmias, anormalidades, ataques cardíacos, etc.

Exame de sangue completo:

Glicemia alterada em jejum (diabetes), valores elevados de colesterol ou triglicerídeos, etc.

Exames de sangue de biomarcadores específicos:

Para medir proteínas chamadas biomarcadores cardíacos (como Troponinas e Peptídeos Natriuréticos).

Radiografia de tórax:

Em pacientes que fumam, que tiveram COVID ou com história prévia de (DCV).

O que é o
teste do peptídeo
natriurético?

Este é um exame de sangue que mede os níveis de proteínas específicas produzidas pelo coração. Seus níveis são mais altos do que o normal quando há insuficiência cardíaca, então este estudo é usado para diagnosticar ou descartar (19). O teste supracitado tem os seguintes usos adicionais (20):
  • Descobrir a gravidade da insuficiência
  • Planejar o tratamento
  • Descobrir se o tratamento está funcionando
  • Defina a previsão
  • Avaliar risco cardiovascular em diabéticos tipo 2

Tratamento da
insuficiência cardíaca

O médico vai dar o tratamento mais adequado a seguir para o tipo específico de insuficiência cardíaca. Algumas opções são (18):

Substituição
de válvula

Tratamento
farmacológico
com:

Inibidores da enzima conversora de angiotensina (ECA): medicamentos para baixar a pressão arterial.
Antagonistas dos receptores da angiotensina II: medicamentos para reduzir a pressão arterial.
Betabloqueadores: diminuem a frequência cardíaca, a pressão sanguínea e os sintomas de insuficiência cardíaca.
Diuréticos: ajudam a prevenir o acúmulo de líquidos no organismo.
Outros medicamentos, como sacubitril/valsartan, anticoagulantes, nitratos, estatinas, etc.